Comunidade Viva Sem Fome completa 1 ano com proposta de mobilizar a sociedade para o combate à fome



Estudos nacionais do DataFavela/ Instituto Locomotiva de 2021 apontam que 70% dos brasileiros que vivem em favelas e periferias têm enfrentado dificuldade em comprar os alimentos básicos durante a pandemia. Apontam, ainda, que 80% das famílias dessas localidades não teriam conseguido assegurar a alimentação mínima se não fossem doações recebidas de pessoas próximas e de campanhas humanitárias.

Frente ao drama do aprofundamento extremo do problema da fome na pandemia, em abril de 2020, nós, da AIC, nos aliamos à Caritas Brasileira Regional Minas Gerais e a dezenas de instituições e coletivos comunitários e a diversas organizações colaboradoras para criar uma grande rede de voluntariado e mobilização social voltada a aplacar a fome e promover a dignidade e a cidadania das famílias em situação de alto risco social da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Nascia, assim, o projeto Comunidade Viva Sem Fome, que esse mês completa um ano de realização. Infelizmente, do início do projeto aos dias de hoje, o número de famílias em situação de total insegurança alimentar aumentou 50%; e a projeção é que dobre até o final do ano, com o agravamento da pandemia (ver abaixo). Por outro lado, o número de doações caiu drasticamente, e o projeto precisa reverter o quadro de escassez de doadores para seguir em frente.


RESULTADOS JÁ ALCANÇADOS

O Comunidade Viva Sem Fome atende em média 1.000 famílias por mês e já distribuiu mais de 240 toneladas de alimentos/ 17,6 mil cestas. Está presente em 50 comunidades periféricas da RMBH, identificando, atendendo e fazendo o acompanhamento das famílias em situação de maior vulnerabilidade por meio de uma rede de 65 organizações e coletivos locais. Também promoveu cinco amplas campanhas de proteção social, educação e cultura: Proteja a Vida, de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus e à violência contra a criança e a mulher; Divertilê, Brincar Junt@s e Livro, Leituras e Conexões, que levaram às famílias leitura, brincadeira e proteção à infância; e Folia Viva (promovida em parceria com o Havayanas Usadas, que é um dos maiores blocos carnavalescos de BH), live que disseminou a atitude “fique em casa” no Carnaval 2021 e fomentou o cuidado com a saúde e a ação solidária. Essas campanhas abrangeram 39 mil pessoas.


COMO APOIAR

Para conseguir seguir em frente, o projeto está realizando uma campanha para engajar doadores recorrentes: pessoas que doem qualquer quantia, de forma continuada, garantindo o apoio às famílias durante todo o ano. Interessados em se tornar doadores recorrentes podem fazê-lo na seção “Como Doar” da página www.comunidadevivasemfome.org.br.

A iniciativa também recebe doações por Pix: (31) 9 9862-8040 – número que também é o celular de contato da campanha.

A transparência é um dos princípios do Comunidade Viva Sem Fome. Por isso, todo o processo de execução das ações, uso dos recursos e distribuição de cestas é informado detalhadamente no site do projeto.