Ação educativa resgata ancestralidade através da culinária e da produção de bolsas ecológicas

Como se alimentar bem em um cenário de precariedade? Como transportar de forma ambientalmente sustentável as doações de alimentos recebidas?


No mês de abril, o Kilombo Manzo Ngunzo Kaiango @ngunzokaiango, por meio do Audioetal, realizou propostas para ajudar a resolver essas questões em seu território.


A cartilha e o audiolivro “Pratos de Memória, Receitas da Nossa História” foram elaborados em parceria com o Manzo e outras pessoas atendidas pelo Comunidade Viva Sem Fome. A cartilha impressa foi distribuída nas cestas básicas do Comunidade Viva no mês de abril.


De acordo com Makota Cássia Kidoiale, a construção coletiva do material educativo possibilitou que “as receitas das mais velhas fossem lembradas, que as memórias fossem reativadas e motivou a comunidade na retomada de atividades culturais. Nos deu mais empolgação”.

Para além disso, foram realizadas, dentro do próprio quilombo, três oficinas de silkagem com supervisão do Mestre Antônio, do Arena. Por meio desses encontros, foram compartilhados saberes sobre técnicas de estamparia, utilização do maquinário específico, possibilidades de criação e comercialização de novos produtos para geração de renda e profissionalização da comunidade nesse tipo de produção.

Como o Manzo já domina a técnica da costura, a junção dos novos aprendizados com o conhecimento já enraizado irá possibilitar a produção de 100 bolsas ecológicas para distribuição entre as famílias que são atendidas com entrega recorrente de alimentos.


Se interessou? A cartilha está disponível download aqui no site. Clique aqui!

Quer acessar o audiolivro? Acesse abaixo:


Para acompanhar essas e outras ações realizadas pelo Comunidade Viva Sem Fome, acompanhe as nossas redes sociais.

*O Audioetal foi um edital em formato de áudio, que teve a sua primeira edição realizada em maio de 2021, onde iniciativas sociais trouxeram os desafios de suas comunidades e propuseram ações para mitigar esses problemas. Além de uma ação local, os grupos apontaram como tratar da temática apresentada em materiais educativos a serem distribuídos junto das 10 mil cestas de alimentos mensais doadas pela ação Comunidade Viva.